Tendência, tecnologia e bom gosto em um só lugar…

super fino em mobiliário

As visitas e exposição em feiras são sobretudo uma grande oportunidade de ver as novas tendências em termos de produtos e tecnologias no exterior. Por isso,recentemente nossa equipe visitou a 28 ª edição da Cersaie, o Salão Internacional da Cerâmica, em Bolonha, Itália, onde pode observar algumas novidades:

O nível dos produtos apresentados foi bastante alto entre os principais produtores italianos e espanhóis, quase todos produzidos com decoração digital, bem como os tipos “super finos”, deixando os revestimentos com aparência cada vez mais natural.

Foram apresentadas várias tecnologias interessantes, como a impressão digital,que veio para ficar e ocupar um lugar muito importante dentro da produção e da decoração em revestimento cerâmico, e ainda a utilização diferenciada do “superfino” que sai das fachadas e começa a ser introduzido no mobiliário.

A diversidade de tecnologias e máquinas de injeção de tinta, também vista na feira,é uma prova do grande esforço dos fabricantes no sentido de atender à demanda das cerâmicas que buscam diferenciar seus produtos através do emprego cada vez maiorde tecnologias inovadoras. Também está claro que esta tecnologia não vêm para substituir nada, mas para complementar o que já existe. A tecnologia digital vai abrirnovas possibilidades de desenho combinadas com as técnicas tradicionais, oferecendo resultados melhores que antes eram impossíveis ou muito difíceis de conseguirsomente com as tecnologias tradicionais.

A tecnologia foi explorada principalmente em mármores, dos clássicos aos translúcidos, com muitas opções de profundidade nos relevos; nas madeiras, ela valoriza a destonalização, os nós e a diversidade em gráfica – sem esquecer da sensação tátil, também valorizada pelo relevo; e nas pedras naturais para áreas externas, proporcionando perfeição em variedade de técnicas, cores e design.

O ”super fino” foi explorado não só como revestimento em fachada – principal motedo ano passado – mas também como parte do mobiliário. Observei bons exemplos na Inalco através de prateleiras, divisórias, banquetas e luminárias valorizadas com iluminação e leveza. Verifiquei sua utilização até mesmo como fórmica, conseqüênciada conscientização em relação a produtos mais sustentáveis.

Aliás, é muito forte a preocupação com um modo de produção mais “verde” – a fim de atender aos requisitos ambientais de mercados como EUA e Europa. Sem sombra de dúvida, essa será uma tendência para o futuro. As empresas que agreguem tecnologias mais verdes de produção obterão redução de custos e podem conquistar o acesso amerçados muito importantes e de alto valor, como Europa e EUA.

Creio que o futuro do setor cerâmico apresenta tendências desafiadoras como as mencionadas, principalmente através da valorização e transformação de seus produtos através de um knowhow diferenciado em termos de técnicas e design – e ainda associada à globalização deste setor, o que permite que as empresas que se arriscarem agora possam desfrutar de melhores posições de mercado no futuro.

Camila Lamberti

Designer e Gerente de produtos, Camila Lamberti atua em uma empresa de grande porte do setor cerâmico nos estados de São Paulo e Bahia e tem como foco a pesquisa de tendências e conceitos que conquistem os consumidores. Com isso, Camila está sempre um passo a frente em relação às novidades do mercado de produtos para arquitetura, decoração, design e acabamentos.

Você pode gostar...