Teshima Art Museum, by Ryue Nishizawa e Rei Naito

A enigmática instalação de um museu que é em princípio “vazio”, o Teshima Art Museum é uma verdadeira experiência sensorial criada por Ryue Nishizawa e Rei Naito.

O Teshima Art Museum pega seus visitantes desprevenidos. Ele se autodenomina um museu, mas seu espaço de exibição vai muito além da visão tradicional da arquitetura para museus, com seus conjuntos de objetos espalhados e obras de arte. Na verdade, os visitantes da ilha de Teshima ficam à vontade para contemplar uma experiência com a natureza baseada na luz, na água e no ar.

É uma experiência desconcertante já que não existe um ponto de entrada óbvio imediatamente disponível.

Rye Nishizawa desenhou no terreno uma misteriosa estrutura branca que é o reminescente de uma gota de água. O envoltório de concreto é iluminado por duas aberturas e parece inflar e desinflar como um organismo vivo. Trata-se de uma estrutura que se mistura com a natureza por um vão livre de 60 metros. A cobertura de 25 centímetros de espessura fica livre de colunas ou qualquer viga visível.

Inaugurado em outubro deste ano, o Teshima Art Museum é o mais recente desdobramento do plano de iluminação que a Naoshima Fukutake Arte Museum Foundation e a Corporation Benesse vem desenvolvendo desde 1989.

O complexo também é equipado com um pavilhão que contém a loja do museu e um café, além da bilheteria, todos escondidos, incrustados na colina. Um caminho gentilmente inclinado percorre a entrada antes de continuar sua jornada pelos arredores da paisagem.

Fonte: Domus

Camila Lamberti

Designer e Gerente de produtos, Camila Lamberti atua em uma empresa de grande porte do setor cerâmico nos estados de São Paulo e Bahia e tem como foco a pesquisa de tendências e conceitos que conquistem os consumidores. Com isso, Camila está sempre um passo a frente em relação às novidades do mercado de produtos para arquitetura, decoração, design e acabamentos.

Você pode gostar...